10 de dez de 2015

Repórter "Capitão Nascimento" do Cidade Alerta, Lilliany Nascimento apresenta matéria truculenta no Cidade

A beldade apresentou a matéria "Ciúme doentio: Briga explosiva" no Cidade Alerta desta quinta-feira 10/12/2015.

Uma matéria tensa com cheiro de gás.

Veja o que a linda Repórter "Capitão Nascimento" do Cidade Alerta Lilliany Nascimento disse nesta entrevista:

Antena Crítica – Como foi que surgiu seu interesse pelo jornalismo? Capitão Nascimento – Desde pequena gostava da palavra televisão. Achava o máximo assistir aos programas, mas principalmente os jornais. Sempre tive interesse nas notícias, muitas vezes nem entendia, mas queria estar lá de frente a TV vendo, sempre. Cheguei a fazer aulas de teatro, em reuniões de família ficava apresentando peças, mas eu sabia que algo estava faltando. Atriz? Não, não era o que eu queria, na verdade eu queria ter o poder de pegar num microfone e passar para as pessoas histórias da vida, ter o poder de informar quem estava do outro lado da tela. E no primeiro colegial eu decidi em fazer jornalismo, e foi amor à primeira vista, não troco por nada. Antena Crítica – Como foi o começo da sua carreira no telejornalismo? 

Capitão Nascimento – Eu comecei fazendo estágio na Polícia Rodoviária Federal, como assessora de imprensa, logo depois veio a oportunidade de ir para a TV. No começo fiquei assustada, mas eu gosto de aventuras de coisas novas então encarei de frente. Passei por momentos difíceis, talvez coisas que pessoas com trinta anos de carreira ainda não passaram, mas essas dificuldades me fizeram crescer cada vez mais. Em todas as profissões existem pessoas boas e más, e no jornalismo não é diferente, e foi uma dessas pessoas más que queriam me fazer desistir do meu sonho, mas eu não deixei me abalar, encarei igual gente grande e continuei. Ah, eu tinha 20 anos quando isso aconteceu. 

Antena Crítica – O seu maior sonho nesta profissão era se tornar repórter de rua ou você pretende alcançar outros cargos? Capitão Nascimento –Eu sempre quis ser repórter de rua, aliás é na rua que você aprende todas as malícias da vida, e também aprende a se defender, a enxergar além. Eu estou muito realizada como repórter, mas daqui uns anos, tipo uns dez anos, quero estar apresentando meu próprio jornal, mas não sentada em uma bancada, quero estilo Cidade Alerta, onde eu possa expressar minhas opiniões sem que ninguém me censure, quero ficar cara a cara com o povo. Mas para isso ainda há muito trabalho a ser feito.  

Antena Crítica – Você já trabalhou no SBT, como foi o convite para você ir para Record? Capitão Nascimento – Na verdade eu comecei na Record em 2011 quando entrei para fazer estágio de produção. Fiquei por dois anos, nesse tempo que fiquei lá fui convidada para trabalhar com o Marcelo Rezende. Tudo estava indo bem, mas meu estágio venceu e eu tive que sair. Daí então surgiu o convite para ir ao SBT. Foi o máximo, fiquei um ano no SBT como produtora, aprendi muito tive muitas oportunidades.

Veja mais: http://www.antenacritica.com.br/batepapo-com-lilliany-nascimento%E2%80%8F-capitao-nascimento-cidade-alerta/

---- Entretenimento e informação com credibilidade são os objetivos deste site, para todos que querem ficar por dentro dos acontecimentos e até mesmo de detalhes das novidades da mídia.

Dia do Pedreiro é comemorado anualmente em13 de dezembro no Brasil.
A data homenageia a profissão de um dos operáriosmais antigos da história da humanidade. Opedreiro é o responsável por ajudar a construir prédios públicos ou privados, utilizando técnicas de revestimentos com argamassas, alvenaria e demais derivados da pedra. O pedreiro, como o próprio nome sugestiona, trabalha com a manipulação de materiais feitos de pedra ou tijolo.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião.

Clique abaixo e saiba muito mais!